terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Migração das Aves 2014


Andorinha-dáurica Cecropis daurica
Tal como no ano de 2013, durante o ano passado, fui registando as datas das primeiras observações de cada uma das espécies migradoras que fui detectando no campo. 
 
Águia-cobreira Circaetus gallicus

Com uma nova época de chegadas aí à porta, deixo-vos uma tabela com as datas e as localizações das primeiras observações de cada uma das espécies no ano de 2014.

Andorinha-dos-beirais Delichon urbicum
 
Apesar de não se poder desenhar qualquer conclusão, já que as observações são recolhidas casualmente e dependem em grande medida do acaso, tentei comparar as datas dos primeiros registos de 2014 com as de 2013 apenas por curiosidade. Os resultados estão na coluna “Diferenças 2013-2014” e os valores indicam o número de dias de diferença entre os dois anos, valores positivos indicam que a espécie foi registada mais tarde e valores negativos indicam que a espécie foi registada mais cedo. 


Nome comum
Nome científico
1ª Obs. 2013
1ª Obs. 2014
Localidade
(concelho)
Dif. 2013-2014
Andorinha-dos-beirais
Delichon urbicum
4-fev
9-mar
Freixo de Espada à Cinta
35
Águia-cobreira
Circaetus gallicus
15-fev
12-mar
Guarda
27
Cegonha-preta
Ciconia nigra
21-fev
7-mar
Mogadouro
16
Andorinha-das-chaminés
Hirundo rustica
1-mar
5-mar
São João da Pesqueira
4
Milhafre-preto
Milvus migrans
13-mar
11-mar
Freixo de Espada à Cinta
-2
Britango
Neophron percnopterus
14-mar
18-fev
Mogadouro
-26
Andorinha-dáurica
Cecropis daurica
16-mar
13-mar
Guarda
-3
Cuco-canoro
Cuculus canorus
19-mar
13-mar
Guarda
-6
Tartaranhão-caçador
Circus pygargus
20-mar
21-mar
Évora
1
Papa-amoras-comum
Sylvia communis
21-mar
29-abr
Guarda
38
Andorinhão-preto
Apus apus
24-mar
26-mar
Évora
2
Andorinhão-pálido
Apus pallidus
24-mar
27-mar
Évora
3
Mocho-pequeno-d’orelhas
Otus scops
3-abr
8-mar
Freixo de Espada à Cinta
-25
Codorniz
Coturnix coturnix
4-abr
8-mar
Freixo de Espada à Cinta
-26
Águia-calçada
Aquila pennata
6-abr
26-mar
Évora
-10
Abelharuco
Merops apiaster
7-abr
8-abr
Monforte
1
Toutinegra-carrasqueira
Sylvia cantillans
11-abr
24-mar
Monforte
-17
Papa-figos
Oriolus oriolus
16-abr
19-abr
Évora
3
Andorinhão-real
Apus melba
16-abr
7-mar
Mogadouro
-39
Rouxinol-comum
Luscinia megarhynchos
17-abr
12-abr
Monforte
-5
Chasco-ruivo
Oenanthe hispanica
17-abr
20-mai
Freixo de Espada à Cinta
33
Picanço-barreteiro
Lanius senator
17-abr
26-mar
Évora
-21
Torcicolo
Jynx torquilla
18-abr
-
-

Sombria
Emberiza hortulana
21-abr
28-abr
Guarda
7
Cuco-rabilongo
Clamator glandarius
22-abr
24-mar
Monforte
-28
Chasco-cinzento
Oenanthe oenanthe
22-abr
29-mar
Monforte
-23
Peneireiro-das-torres
Falco naumanni
26-abr
10-abr
Évora
-16
Rolieiro
Coracias garrulus
26-abr
18-abr
Monforte
-8
Rola-brava
Streptopelia turtur
8-mai
13-mai
Seia
5
Felosa de Bonelli
Phylloscopus bonelli
11-mai
2-abr
São João da Pesqueira
-39
Felosa-poliglota
Hippolais polyglotta
18-mai
17-abr
Cuba
-31
Bútio-vespeiro
Pernis apivorus
20-mai
8-abr
Monforte
-42
Petinha-dos-campos
Anthus campestris
-
24-mar
Monforte

Perdiz-do-mar
Glareola pratincola
-
23-abr
Cuba


4 comentários:

Xabier Prieto Espiñeira disse...

Umha táboa bem interessante Paulo! Vejo que tedes por aí Escribenta das hortas (Emberiza hortulana). Aquí em Galiza é um passeriforme raríssimo de ver, apenas no extremo Leste de Ourense.
E olho cos registos de Andorinha afinal de Inverno, Paulo. Em áreas muito mais ao Norte, coma é Ferrol, temos observado indivíduos claramente invernantes (meiados de Dezembro ou de Janeiro, por exemplo). Assim de memória, penso que se correspondiam com as espécies Andorinha das chaminés e Andorinha dáurica.
Por tanto é provável que pola túa zona, máis térmica, aconteçam tamém casos de invernada.

Paulo Barros disse...

Ola Xabi,
Este post e observações são do Emanuel (amigo e co-autor deste blog) pelo que ele melhor que ninguém poderá comentar o teu comentário, até porque a avifauna é a sua especialidade, eu apenas gosto de ver uns passaritos…
Mas também tenho a noção que em zonas/vales mais mediterrânicos do Norte de Portugal algumas espécies começam a ficar por cá Inverno, um bom exemplo é a Poupa (Upupa epops) que nos vales do baixo Sabor e Tua são frequentes verem-se no Inverno.
Unha aperta!

Emanuel Ribeiro disse...

Olá Xabi,

sim por Portugal também podemos encontrar alguns casos de andorinhas invernantes principalmente na zona sul e no litoral do país. A Emberiza hortulana também não é muito comum em Portugal mas, em algumas serras no norte e centro, como a Serra da Estrela, é um passeriforme muito fácil de detectar entre finais de Abril e finais de Agosto.

Abraço

Manuela Marques disse...

Excelente trabalho, parabéns!

Enviar um comentário