sábado, 30 de junho de 2012

Complexo nattereri


 Myotis escalerai
 
Em 1914, no libro “fauna ibérica - Mamíferos”, Ángel Cabrera escreveu “En 1904, observando que todos los ejemplares españoles que me fué dado examinar tenían el patagio inserto junto al tobillo, y no en la base de los dedos como se lee en todas las descripciones del Myotis Nattereri, me atreví á considerarlos como una especie diferente (Myotis Escalerai).”
De facto, após um século da descrição original de Myotis escalerai por Ángel Cabrera, a genética consegui mostrar o que as características morfológicas pareciam ter escondido. As primeiras análises genéticas confirmaram a presença na Península Ibérica de um grupo de Myotis nattereri muito diferentes dos observados no Centro-Norte da Europa, provavelmente correspondente aos Myotis escalerai descritos por Ángel Cabrera em 1904, sendo assim possível reconhecer cientificamente esta espécie.
 Myotis escalerai
 
A genética revelou ainda uma segunda linhagem existente no Norte de Espanha desconhecida até ao momento, esta linhagem diferencia-se do Myotis nattereri e também do Myotis escalerai. Como a todos os desconhecidos foi dado um nome fictício e prático. Myotis spA. Contudo para uma maior complicação, uma terceira linhagem aparecia em Marrocos (Myotis spB).
 Myotis escalerai
 
Desde então tem-se trabalhado no sentido de recolher dados suficientes para esclarecer a diferenciação genética e morfológicas destas 4 espécies. Para duas destas espécies já existe uma descrição taxonómica.
Myotis nattereri foi descrito em 1817 por Kuhl com exemplares procedentes da Alemanha Central. Esta espécie está amplamente distribuída na Europa Central, Setentrional e oriental, contudo até ao momento não foi encontrada na Península Italiana ou Ibérica. 
 Myotis escalerai
 
A descrição do Myotis escalerai feita por Ángel Cabrera em 1904 é válida, já que os exemplares estudados procediam de uma área (Valência) onde apenas se encontra esta espécie. O nome desta espécie pôde ser então resgatado, apos ter sido considerada sinónimo de Myotis nattereri por muitos anos. Contudo as suas características morfológicas, ecológicas e a sua distribuição necessitam de ser estuda á luz dos resultados genéticos.
Diferente é a situação das novas linhagens.

O Myotis spA é a segunda linhagem encontrada na Península Ibérica e o único presente na Península Italiana. Geneticamente é uma espécie mais próxima do Myotis nattereri
O Myotis spB é a única linhagem encontrada na região de Magreb. Genética e morfologicamente é mais próximo do Myotis escalerai. O conhecimento da sua distribuição e estado de conservação é escasso tendo sido considerada uma espécie rara.
Assim, na Península Ibérica ocorrem exemplares de duas das quatro linhagens do complexo nattereri. O Myotis escalerai que está presente em toda a península, enquanto que o Myotis spA está limitado a áreas Setentrionais até ao Norte da Extremadura pelo Ocidente até á Catalunha na costa Oriental.
Além das evidências ecológicas que parecem ter, sendo que o Myotis escalerai é mais frequente em zonas de cotas mais baixas, enquanto que o Myotis spA, ocorre em zonas de maior altitude. Alguns caracteres morfológicos também permitem distinguir os dois principais grupos (Myotis nattereri/Myotis spA Vs Myotis escalerai/Myotis spB). A característica mais evidente e amplamente comprovada, é a diferença na franja de pelos na margem do uropatágio, a franja ventral interna nos Myotis escalerai e myotis spB apresenta pelos mais longos, mais densos e direcionados para o corpo do animal. Outra característica é o ângulo de inserção do patágio na pata.
 Myotis escalerai

Post escrito com base no artigo:
Saliciini I., Ibáñez C., Juste J. (2012). El complejo Myotis nattereri en Iberia: una larga historia. Barbastella 5 (1) 3-7.

2 comentários:

Inés G. de Castro [maeglin] disse...

Eu realmente gosto do seu blog, é muito interessante

Paulo Barros disse...

Hola Inés,

Muchas gracias por visitar nuestro blog.

Unha aperta!

Enviar um comentário