segunda-feira, 4 de abril de 2016

Anfíbios de Trás-os-Montes

À exceção da Hyla meridionalis (rela-meridional) que no nosso país tem a sua distribuição setentrional a zona do Sabugal, o pelodytes spp. (sapinho-de-verrugas-verdes) que no interior de Portugal tem mais ou menos o mesmo limite da rela-meridional e no litoral ocorre em toda a costa Portugal à exceção do Minho. Em Trás-os-Montes é possível observar as restantes 15 espécies de anfíbios existentes em Portugal Continental.
  
Salamandra Rabilarga
Chioglossa lusitanica (Salamandra-lusitanica)

Gallipato
Pleurodeles waltl (Salamandra-de-costelas-salientes)

Salamandra Común
Salamandra salamandra (Salamnadra-de-pintas-amarelas)

Tritón Ibérico
Tritus boscai (Tritão-de-ventre-laranja)

Tritón Palmeado
Triturus helveticus (Tritão-palmado)

Tritón Jaspeado
Triturus marmoratus (Tritão-marmorado)

Sapo Partero Ibérico
Alytes cisternasii (Sapo-parteiro-ibérico)

Toad Sapo Partero Común
Alytes obstetricans (Sapo-parteiro-comum)

Sapillo Pintojo Ibérico
Discoglossus galganoi (Rã-de-focinho-pontiagudo)

Sapo De Espuelas
Pelobates cultripes (Sapo-de-unha-negra)

Sapo Común
Bufo bufo (Sapo-comum)

Sapo Corredor
Epidalea calamita (Sapo-corredor)

Ranita De San Antón
Hyla molleri (Rela)

Rana Patilarga
Rana iberica (Rã-ibérica)

Rana Común
Pelophylax perezi (Rã verde)

13 comentários:

Marco Fachada disse...

Como se costuma dizer, "boa malha"!
Obrigado pela partilha.
abr

Paulo Barros disse...

Obrigado Marco,
Como se costuma dizer "sempre às ordens" ou "para isso é que cá estamos"
P.S. estava a escrever este comentário e via te ainda tenho o nome antigo da râ verde...
Um abraço

Martiño Cabana Otero disse...

A Hyla arborea agora chámase Hyla molleri. Os taxonomos non paran...
Apertas,
Martiño

Martiño Cabana Otero disse...

Por certo, ata onde tes rexistrado Alytes cisternasii? Anda preto da Galicia mais non chega a ela.
Martiño

Martiño Cabana Otero disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Martiño Cabana Otero disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Barros disse...

Hola Martiño,
Obrigado pelo aviso, esqueci-me completamente da Hyla, já esta mudado!
Quanto ao cisternasii, é abundante no interior Transmontano o limite mais a NO (perto de Galiza ) é uns registo que existem entre o rio Rabaçal e Tuela (perto de Valpaços e Torre de Dona Chama) más ou menos a 20 Km da fronteira, pelo que se ocorrer na Galiza seria pelo município de A Gudiña…
Apertas,

Martiño Cabana Otero disse...

Obrigado Paulo. Na Galiza temos varias especies que case chegan (Mesotriton alpestris, Zamenis longissimus, Alytes cisternasii, Pleurodeles, etc) e quedan ás portas por poucos quilómetros. Unha pena aínda que non quedan moi lonxe ;))
Apertas,
Martiño

Tita Oliveira disse...

Vim para conhecer e gostei! Vou seguir para não perder de vista :)
Beijo.

Tita Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tita Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tita Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Barros disse...

Cara Tita,
Obrigado pela sua visita e esperamos que continue a gostar dos nosso blog.
Paulo Barros

Enviar um comentário